Paralisação de caminhoneiros continua no Maranhão

Acordo entre Governo e caminhoneiros não é unanime. Ainda na manhã desta sexta-feira (25), a categoria continua paralisada em alguns estados, incluindo no Maranhão. Das 11 entidades do setor de transporte, em sua maioria caminhoneiros, que participaram de um encontro com os governantes, uma delas, a  Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), que representa 700 mil caminhoneiros, recusou a proposta.

No Maranhão, há registro de 14 pontos de protestos. De acordo com  o caminhoneiro Leonardo Batista, que está em parado em São Luís, na Avenida dos Portugueses, há cinco dias, informou que não tem acordo.”Continuamos aqui pelos nossos direitos em tempo indeterminado. Não queríamos estar aqui, há pessoas muito longe de suas casas”, desabafou.

Todos os pontos de movimentação dos caminhoneiros acontece sem interdição de rodovias e valem apenas para veículos de carga. Todos os outros tipos de veículos, como material hospitalar, comida pronta, carga viva e perecíveis, estão sendo liberados.

Os caminhoneiros reclamam da alta do preço de combustíveis, a categoria o fim da carga tributária sobre o óleo diesel. Eles contam com a aprovação, no Senado, da isenção da cobrança do PIS/Pasep e da Cofins incidente sobre o diesel até o fim do ano.

Confira os trechos, divulgados pela Polícia Rodoviária Federal do Maranhão, onde ocorrem protestos:

✔ Imperatriz – BR 010, km 246 ✔ Cidelândia – BR 010, km 299,5 Trecho Seco
✔ Estreito – BR 010, km 131
✔ Balsas – BR 230, km 396
✔ Balsas – BR 230, km 406
✔ Caxias – BR 316, km 544
✔ São Domingos do Azeitão – BR 230, km 216
✔ São Luís – BR 135, km 5, OLEAMA
✔ São Luís – Km 2 do Acesso da BR 135 (posto Paizão)
✔ São Luís – Km 6 do acesso da BR 135, Vila Maranhão
✔ Grajaú – BR 226, km 413
✔ Açailândia – BR 222, Pequiá
✔ Bacabeira – BR 135, km 46
✔ São Luís – BR 135, Km 16,2 do acesso (Avenida dos Portugueses), em frente a Liquegás.