SSP-MA determina exoneração de responsáveis por documento ilegal

Após a circulação de um documento nas redes sociais, no qual fica supostamente determinado que as unidades da Polícia Militar atuantes no interior do Maranhão identifiquem lideranças antagônicas ao Governo Local e Estadual, a PM emitiu nota com um posicionamento sobre o caso, afirmando que a determinação não foi autorizada pelo Comando Geral e que as medidas necessárias serão tomadas. “Foi instaurado um procedimento de apuração legal para as devidas providências que o caso requer”, aponta a nota, que é assinada pelo comandante geral da Polícia Militar do Maranhão, coronel Jorge Luongo.

“É um equívoco grave e sem precedentes, não autorizado pelo Comando da Instituição Policial Militar, que na sua gênese procurava tão somente catalogar dados informativos e estatísticos que subsidiassem um banco de dados para a elaboração do planejamento do policiamento das eleições 2018”, afirma o informe.

O Secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, também se posicionou e comentou sobre a circulação do documento, referindo-se ao caso como “um erro gravíssimo”. Ele confirmou que recebeu a informação sobre a circulação do documento na noite de ontem (20), quando estava em uma reunião.

Jefferson Portela determinou a imediata exoneração do (s) responsável (is) por essa nota. “Qualquer publicação de normas e orientações gerais tem que partir do Comando Geral, não de uma unidade. Contraria as regras da democracia”, disse ele.

Confira fala dele sobre o caso:

Nota na íntegra

A Polícia Militar do Maranhão vem a público esclarecer que o documento que circula nas redes sociais onde supostamente se determina às Unidades do Interior que identifiquem lideranças antagônicas ao Governo Local e Estadual é um equívoco grave e sem precedentes, não autorizado pelo Comando da Instituição Policial Militar, que na sua gênese procurava tão somente catalogar dados informativos e estatísticos que subsidiassem um banco de dados para a elaboração do planejamento do policiamento das eleições 2018.

Informa que logo que este equívoco foi identificado, tomou medidas imediatas para corrigir tal erro e tornar sem efeito tais medidas, assim como instaurou um procedimento de apuração legal para as devidas providências que o caso requer.