Representantes de organizações carnavalescas falam sobre repasse de verbas

Neste sábado (6), o programa Resenha reuniu os entrevistados André Campos, presidente da Flor do Samba, Brasa Santana, presidente da Associação dos Blocos Carnavalescos e o jornalista Joel Jacinto para discutirem sobre o Carnaval 2018 e a não participação de algumas escolas de samba no desfile deste ano.

Foi citada uma crise entre o carnaval de passarela e o poder público.

André Campos afirma que, para que os problemas relacionados a isso sejam solucionados, é importante que os dois lados comecem a trabalhar de forma mais próxima. “A problemática do carnaval de passarela do Maranhão não é uma coisa nova. Nós que estamos nessa batalha desde crianças, vivenciamos isso a cada ano. É preciso ter uma equipe pensante dentro do Governo do Estado e do Governo Municipal que pense o carnaval durante todo o ano. Mas nós, das escolas de samba, também temos nossa responsabilidade. As escolas de samba do Maranhão, muitas delas, se acomodaram. Ficam esperando o ano todo até chegar perto do carnaval, para tentar se organizar. Desse tempo para cá, esses novos dirigentes que assumiram as escolas, tentaram mudar isso. As escolas começaram a trabalhar o ano todo, com muita dificuldade, mas ainda é muito primário. Então, para não acabar o carnaval de passarela, isso tudo precisa ser repensado”, disse o presidente da Flor do Samba.

A Flor do Samba foi a única escola a confirmar participação no desfile deste ano. André confirmou que a escola está dentro do cronograma.

Confira a entrevista na íntegra.