Caso Nenzin: Inquérito foi concluído e deve seguir para o MP

Na última sexta-feira, dia 22, foi concluído o inquérito sobre o assassinato do ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Souza, o Nenzim, que foi assassinado no dia 6 de dezembro. O laudo dos peritos criminais confirmou que Manoel Mariano Júnior, filho da vítima e principal suspeito do crime, foi o autor dos disparos contra o pai.

Mariano Júnior, também conhecido como “Júnior do Nenzin”, está preso no Complexo Penitenciário São Luís desde o último dia 8 de dezembro.

Durante as investigações, foram ouvidas mais de 20 testemunhas. O objetivo era analisar os detalhes do caso e descobrir, entre outras coisas, se Mariano teria contado com a ajuda de outra pessoa para executar o crime.

Perícia

Além da autoria de Mariano, a perícia também confirmou que o carro que ele e Nenzim estavam na hora do crime foi lavado. Imagens de câmeras de segurança de um condomínio mostram o veículo, uma caminhonete modelo Ford Ranger, circulando no horário em que o ex-prefeito teria sido atingido com um tiro no pescoço.

De acordo com a polícia, o carro passou 40 min no local e só depois desse tempo é que a vítima foi levada para o hospital, onde já chegou sem vida.

O veículo passou por três perícias ao total, realizadas por peritos de São Luís e de Imperatriz. Ele teria sido lavado por Francisco Davi Freitas, primo de Mariano e proprietário do veículo. Francisco responde por fraude processual.

Novos passos

Até o fim dessa semana, o inquérito sobre o caso de Nenzim deve sair do Fórum de Barra do Corda e seguir para o Ministério Público do Município. O órgão, então, deverá decidir se o caso pode ter continuidade, ou se são necessárias novas diligências.

Com o inquérito finalizado, a polícia deve fazer também a reconstituição do crime.