Parque ambiental do Itapiracó conserva mais de 200 espécies amazônicas

Mais de 200 espécies da fauna e flora amazônicas habitam o Parque Ambiental da Reserva do Itapiracó, entregue no último fim de semana pelo governador Flávio Dino após passar por revitalização. Segundo catalogação recente, foram contabilizadas 174 espécies de animais e 33 espécies de plantas remanescentes de floresta amazônica, além de quatro nascentes de rio.

Juçara, tucum, janauba e ipê estão entre as espécies de flora presentes na APA do Itapiracó. A fauna também é diversa, contando com espécies de sapos, camaleões, cobras, rãs e animais de pequeno porte como gambás, tatus e cotias.

Somente no grupo de pássaros que habita a região, são mais de 141 espécies como garcinha-branca, gaviãozinho, juruti e beija-flor. Já as nascentes de rio encontradas na reserva fazem parte da microbacia do riacho Itapiracó, integrante da bacia hidrográfica do rio Paciência.

A Reserva do Itapiracó é regulamentada como uma unidade de conservação de uso sustentável, classificação que autoriza o acesso do homem aos recursos naturais e até mesmo o povoamento da região. Após a revitalização, o espaço ganhou mais de 15 praças, campos de futebol, futebol de praia e futevôlei, parquinhos infantis, circuito de skate, trilhas ecológicas, pista de cooper e áreas de estacionamento. De acordo com a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema), o parque ajuda a conscientizar moradores sobre a preservação da área ao estimular o contato com a natureza.

Batalhão Ambiental

A supervisora de Gestão de Unidades de Conservação da Sema, Rafaela Brito, alerta para alguns cuidados ao percorrer as trilhas ecológicas do parque: “É possível encontrar cobras nas áreas alagadas, por isso é aconselhável pedir o acompanhamento dos agentes do Batalhão de Polícia Ambiental ao explorar as trilhas”.

O Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) está presente 24 horas por dia por meio de posto instalado no interior da reserva. Além de proteger os visitantes de possíveis ataques de animais, os oficiais do BPA coíbem assaltos e crimes ambientais, entre outras ocorrências. A vigilância conta, ainda, com reforço das Polícias Civil, Militar e de fiscais da Sema.