Sem eleições, 2017 registra queda em roubos a bancos no Maranhão

A ausência da realização das eleições municipais este ano reflete na queda das estatísticas de roubo a banco registradas no interior do estado. “As quadrilhas interestaduais aproveitam o período eleitoral e o baixo efetivo policial nos municípios maranhenses para promover os assaltos e explosões em agências bancárias”, é o que afirma o Superintendente da Seic (Superintendência Estadual de Investigações Criminais), Tiago Bardal.

Somente em 2016 foram registrados 67 casos de arrombamentos, explosões a agências bancárias e tentativas de assaltos em todo o Maranhão. Enquanto, em janeiro de 2016 foram registrados 04 assaltos e 09 arrombamentos, este ano, apenas uma ocorrência foi registrada no mesmo mês.

CONSEQUÊNCIAS

Explosões em caixas eletrônicos, já deixaram dezenas de municípios sem serviços bancários no Maranhão. Apenas na região leste maranhense, três agências foram transformadas em postos de atendimento. Com isso, os moradores das cidades de Olho d’Água, Matões, Parnarama e Paraibano, precisam se deslocar para cidades vizinhas para resolver transações mais complexas. Nos postos, são oferecidos apenas serviços básicos, como por exemplo, saques.

Conversamos com o Eloy Natan, presidente do Sindicato dos Bancários do Maranhão, que informou que todas as agências foram ou estão sendo reformadas. “O prazo médio para  reconstrução é de 120 dias. No entanto em muitas delas, o banco restringiu a movimentação de dinheiro nos caixas eletrônicos e nos guichês de caixa prejudicando a população que é obrigada a utilizar casas lotéricas, agências dos correios e correspondentes bancários que tem limitação na movimentação. Para transações mais complexas a população tem que viajar para a cidade mais próxima em busca de atendimento”, disse o presidente.

ATAQUES

De acordo com o Sindicato, as cidades de Igarapé Grande e Fortaleza dos Nogueiras tiveram as duas únicas agências explodidas de uma só vez. Outras como Paraibano, teve também ocorrências seguidas. O último ataque foi registrado na cidade de Bom Jardim. Um grupo fortemente armado, explodiu a agência bancária do Banco do Brasil.

PRISÕES

Em entrevista ao MA10, o superintendente da Seic (Superintendência Estadual de Investigações Criminais), Tiago Bardal, informou que 217 assaltantes foram presos por participação em assaltos a bancos em 2016. O número aponta um crescimento de 63% em relação a 2005, quando 149 criminosos foram identificados e presos.

Em apenas 1 mês e cinco dias, 35 pessoas foram presas durante operações este ano. No entanto, alguns criminosos foram soltos após audiência de custódia.

Mayara Saraiva

Redação MA10